Menu

Já é associado?

Faça o seu login e envie a sua notícia.

Não Possui Conta?

Saiba mais como tornar-se associado clicando aqui.

  • Home
  • Notícias
  • Escolas privadas preveem reajuste médio de 11,5% em 2017
05/12/2016

Escolas privadas preveem reajuste médio de 11,5% em 2017

Dados são de pesquisa do SINEPE/RS com instituições de Educação Básica

por Assessoria de imprensa
Escolas privadas preveem reajuste médio de 11,5% em 2017
De acordo com dados do Sindicato do Ensino Privado do Rio Grande do Sul (SINEPE/RS), as instituições de ensino privadas devem reajustar suas mensalidades em 11,5%, em média, no próximo ano. A pesquisa foi realizada com 101 escolas associadas ao Sindicato de todo o Estado, no mês de novembro. O presidente do SINEPE/RS, Bruno Eizerik, explica que as mensalidades escolares são fixadas por cada instituição de acordo com sua planilha de custos, investimentos previstos, e avaliação da comunidade em que está inserida. "O SINEPE/RS não tem qualquer ingerência sobre esta decisão, que é da mantenedora de cada escola." Outro dado verificado na pesquisa é a perspectiva de crescimento das escolas no próximo ano. Das respondentes, 38,8% estimam crescer até 5% e 36,7% acreditam que devem manter o número de alunos ou registrar queda de até 5%. "As escolas imaginam retomar aquela linha de crescimento do ensino privado dos últimos anos, interrompida no ano passado pela crise que assolou o país e teve reflexo nas instituições de ensino. Essa previsão de crescimento modesto, ou mesmo o não crescimento, é um resultado do que o país vive", alega Eizerik. Em relação aos custos, o que mais deve impactar o orçamento das escolas em 2017 é a folha de pagamento, repetindo o que ocorreu neste ano. Ela representa 2/3 do orçamento das instituições. O segundo maior custo será com infraestrutura e, em terceiro, investimentos em tecnologia. "Educação é um serviço, e por isso o gasto com pessoal tende a ser, mesmo, o maior custo. Mas existe a necessidade de fazer investimento constante em infraestrutura e em tecnologia, pois os equipamentos se tornam obsoletos rapidamente."

Mais sobre:

Compartilhe:

Gostaria de enviar notícia ao SINEPE/RS?

Colabore com o acervo de notícias para o nosso site.
Faça o seu e envie sua notícia